Poesia Viva

sábado, fevereiro 04, 2006

Caminhar...


Caminha! Caminha sem parar...
Depressa ou devagar, caminha!
Faz pequenas pausas para respirar,
Ouve a Alma, que em ti se aninha...

Observa! Vê com toda a atenção!
Verás que não existem horizontes
Que retenham a tua vocação,
Mesmo que altos sejam os montes...

Olha para a interminável lonjura
Onde se move todo o Universo,
Olha para dentro de ti, com ternura
E entende que és: verso e reverso!

Quando olhares para dentro de ti
Em altura e com profundidade,
Verás diante dos teus olhos, aqui,
Esta incomensurável verdade:

Tu és inteiro com toda a Vida,
És o imortal átomo permanente,
Que contém em si toda a energia
E se renova constantemente.

José António

(Foto de Isabel - Uma estrada no Norte de Portugal)

5 Comments:

Enviar um comentário

<< Home