Poesia Viva

sábado, janeiro 14, 2006

Transmutação...


Dentro de mim um turbilhão
Mistura tudo completamente
Ideias, a vida, a própria intuição
E as palavras já não exprimem
O que cá dentro me diz o coração

São alguns vislumbres do infinito,
É apanhar o âmago duma questão,
É sentir o pulsar da vida num grito!
A poesia que me sai de todo o SER
E me leva a uma outra dimensão

O corpo físico reage mais lento
Primeiro já chegou o pensamento
Bem o exercito e sempre tento
Que o mesmo atinja o comprimento
Necessário para voar como o vento

Invade-me uma sensação de PAZ
Que se transmite a todo o meu SER
Já não importa se se faz ou não faz
Não importa se há ou não prazer
Importa saber se de intuir se é capaz

E pequenos milagres acontecem
Neste transmutar pleno de energia
Pairam as núvens que amanhecem
Anunciando o nascer dum novo dia
Que lindos raios de Sol já aquecem

José António

(Foto de Isabel)

3 Comments:

Enviar um comentário

<< Home