Poesia Viva

sexta-feira, abril 07, 2006

Abraço...


Pai e filho estavam em casa, calmamente. O Pai mexia nos livros espalhados na secretária, tentando ordená-los. O filho estava sentado, lendo um livro, ou, aparentemente, folheando-o.

O pai levantou os olhos olhando pela janela e viu o mar colorido pelos raios de sol que nele se espraiavam. Abriu-se-lhe a boca de espanto, ante a beleza que saindo daquela paisagem inundava todo o seu ser. Ficou parado... só olhando.

O rapazinho, devagarinho aproximou-se do Pai. As mãos suaves agarraram-se às suas pernas e disse simplesmente:

- Estou aqui! Sou eu!

O pai pegou-lhe ao colo, beijo-lhe os cabelos com suave cheiro perfumado e levou-o até à janela. Ficaram os dois a olhar o mar, que dali se avistava, até nele perderem a vista...

- Pai, as ondas nunca param de querer entrar pela terra dentro?
- Querem abraçar a Terra, como eu te estou a abraçar a ti!...
- E quando se abraça alguém, é porquê?
- É porque se gosta dessa pessoa que abraçamos. É uma manifestação de amor!
- Ah! ... então o ar também deve gostar muito da Terra!... Está a abraçá-la de noite e de dia...
- Pois é, meu filho! É como dizes...
- E o mar também quer abraçar sempre a Terra, porque vai e vem, e vem e vai, e abraça-a tantas vezes...
- É assim o amor verdadeiro. Nunca se cansa, nunca pára de homenagear a quem quer bem!
- Pai, Pai, queres ser sempre comigo como o Mar é com a Terra?
- Sim, meu querido! É assim que vai acontecer, gostarmos muito um do outro!
- Mas, ó Pai, por vezes os abraços do mar são muito violentos, trazem ondas, vagas, remoínhos, podem destruír...
- Pois é. meu querido! Mas todas as ondas, vagas, correntes, tempestades, só existem à superfície. Lá no fundo, em águas profundas, permanece sempre a serenidade e a suave ondulação.
- Então e como se faz para evitar essa tão grande força agitada que nos pretende abraçar e que nos pode matar?
- Devemos afastar-nos da superfície, onde todas essas tempestades ocorrem e dirigir-nos para o fundo do nosso mar, sem quaisquer tipos de culpa, à procura da paz.

O menino, embora não entendesse muito bem, abraçou-se mais ao Pai e os olhos de ambos perderam-se no momento e no seu infinito mar, olhando o mesmo ponto longínquo.

José António

6 de Abril de 2006

(foto de José António)

45 Comments:

  • At domingo, 9 de abril de 2006 às 11:07:00 WEST, Blogger aprendiz de viajante said…

    Grande lição de moral!!!
    Um texto fabuloso...

    Um bom Domingo para ti!

     
  • At domingo, 9 de abril de 2006 às 15:18:00 WEST, Blogger zecadanau said…

    Bonito.

    Um @bração do
    Zeca da Nau

     
  • At domingo, 9 de abril de 2006 às 17:50:00 WEST, Blogger Um outro olhar said…

    bonita história, com um fundo moral muito elevado e de grande sensatez

    :)

    Nota: obrigada pela vista, gostei do que vi.

     
  • At domingo, 9 de abril de 2006 às 20:47:00 WEST, Blogger Pedro Melo said…

    Que maravilhoso! E que delicia!

    Procura no Interior a acalmia... libertando-te aos poucos do turbilhão exterior (como encontrar a calma no centro da tempestade!).

    Soberbo! Adorei!

     
  • At domingo, 9 de abril de 2006 às 21:47:00 WEST, Blogger Isabel José António said…

    Cara Amiga Wicca,

    Muito obrigado pela tua passagem por este nosso lugar de voos e de vida.

    "Sorri para a vida para que a vida te sorria".

    Uma boa semana

    José António

     
  • At domingo, 9 de abril de 2006 às 21:48:00 WEST, Blogger Isabel José António said…

    zecadanau,

    Mais um obrigado pela tua visita.

    Uma boa semana

    Um abraço

    José António

     
  • At domingo, 9 de abril de 2006 às 21:49:00 WEST, Blogger Isabel José António said…

    Um outro olhar,

    Ainda bem que gostou da visita à "sua casa".

    E obrigado pelo seu comentário

    Uma boa semana

    José António

     
  • At domingo, 9 de abril de 2006 às 21:51:00 WEST, Blogger Isabel José António said…

    Pedro Melo, meu amigo,

    Tudo o que somos está dentro de nós. Só com os olhos da alma o podemos compreender.

    Muito obrigado pela tua visita.

    Um grande abraço e boa semana.

    José António

     
  • At domingo, 9 de abril de 2006 às 23:55:00 WEST, Blogger Desambientado said…

    Nem todos os sentimentos se expressam por poemas, alguns transmitem-se por parábolas.
    Um texto lindissimo e pertinente.

    Um abraço

     
  • At segunda-feira, 10 de abril de 2006 às 09:02:00 WEST, Blogger Isabel José António said…

    Amigos Félix Desambientado,

    Desde que me conheço que me sei a escrever. Faço-o em prosa e em verso. Aliás, "esta coisa da poesia" é relativamente recente.

    Já ensaiei um conto, mas um crítico destas coisas disse-me que era tão bom que ninguém o iria publicar. à minha pergunta sobre qual a razão de tal atitude a resposta veio fria, e eloquente: "É que só o que é lixo é que se vennde bem e ninguém está aqui para perder dinheiro".

    Prometo que escreverei mais prosa.

    Um grande abraço e mais uma vez obrigado pela visita.

    José António

     
  • At segunda-feira, 10 de abril de 2006 às 12:44:00 WEST, Blogger sa.ra said…

    A impermanência da superfície... das emoções... a pernanência do EU SOU... da paz interior, do Amor...

    muito... muito bonito!

    Obrigada aos dois pelos vossos comentários tão generosos, sempre... sente-se a dádiva! obrigada!

    Isabel,
    Obrigada também pelo link do novo blog de contos!

    (este blog... é uma sinfonia orquestrada por um só espírito)

    beijinhos e um dia feliz para ambos!

     
  • At segunda-feira, 10 de abril de 2006 às 16:13:00 WEST, Blogger Liliana said…

    Abraços do tamanho do mundo...
    Li,várias vezes.
    Bonito.Gostei muito.

     
  • At segunda-feira, 10 de abril de 2006 às 20:17:00 WEST, Blogger Fátima Silva said…

    Uma belíssima narrativa, condimentada com uma ternura infinda. Uma lição de vida contada com muito amor.

     
  • At segunda-feira, 10 de abril de 2006 às 22:34:00 WEST, Blogger Isabel José António said…

    Para estas mulheres fantásticas Sa.ra, Liliana e Fátima Silva,

    As vossas visitas são enternecedoras pela: sabedoria, pela subtilidades deixadas nas entrelinhas, pelo desejo de querer partilhar, de transmitir e aprender. Sente-se em cada palavra, cada foto, cada post.

    É um privilégio partilhar assim estas "pérolas" deTudo.

    Um beijinho

    José António

     
  • At terça-feira, 11 de abril de 2006 às 10:48:00 WEST, Blogger Maria Costa said…

    Belo texto em consonância com a beleza da imagem. Um conteúdo de Luz.

    Bem hajam!

    Obrigada.
    Beijinhos.

     
  • At terça-feira, 11 de abril de 2006 às 11:26:00 WEST, Blogger aprendiz de viajante said…

    Um bom dia para ti também e obrigada!

    És uma preseça amiga muito especial!

     
  • At terça-feira, 11 de abril de 2006 às 13:14:00 WEST, Blogger Rose said…

    José Antonio,
    O coração deste pai é inefável no ensinar e no amar, será merecedor sempre do amor e do respeito deste filho.

    Deixaste novamente um poema lindo no seu comment no "poemas e amores".

    Se não fosse a poesia
    Como contaria
    Meu amor,
    Minha paixão,
    Minha saudade?
    Se não fosse a poesia
    Como eu me reconheceria?
    Se não fosse a poesia
    O sol não brilharia,
    A lua não luziria,
    A estrela não cintilaria
    E a terra murcharia.
    Se não fosse a poesia
    Que sombrio seria...

    Rose

    grande abraço

     
  • At terça-feira, 11 de abril de 2006 às 13:18:00 WEST, Blogger Rose said…

    A foto é maravilhosa, provavelmente a roubarei. Posso?

     
  • At terça-feira, 11 de abril de 2006 às 15:39:00 WEST, Blogger Isabel José António said…

    Rose,

    Ainda bem que gostaste do poema (ou dos poemas). Quanto à foto, claro que sim desde que assinales de quem é, OK?

    É uncanto o teu blog.

    É um gosto "poetar"! com outro poeta (ou poeyisa).

    Nós no nosso blog (A Isabel e Eu) se um "poeta" o outro "poeta" ainda mais.

    Se não fosse a poesia
    Como andaria o Mundo?
    Tão mal já andaria...
    Teria batido no fundo?

    Beijinhos

    José António

    PS:
    Muito obrigado e continua a visitar-nos que nós o mesmo faremos a ti e ao teu blog.

     
  • At quarta-feira, 12 de abril de 2006 às 18:15:00 WEST, Blogger Rose said…

    José Antonio,
    Sempre faço o que penso ser arte visual com meus poemas. Mas sempre dou os créditos a quem de direito.
    Faria o mesmo com suas fotos que são belas.

    Virei sempre aqui, é lindo.

    Abraços aos dois

     
  • At quinta-feira, 13 de abril de 2006 às 04:14:00 WEST, Blogger Fátima Silva said…

    Quero agradecer a forma como te expressaste sobre nós no teu comentário. Só nos podemos sentir privilegiadas por te termos conhecido e descoberto neste mundo dos blogs. Obrigada por tanta ternura!
    O último post que lancei foi de novo sobre a Amazónia e deixei lá uma proposta para todos quantos desejarem participar.
    Obrigada por tudo e uma óptima Páscoa junto da tua família.
    Um beijinho

     
  • At quinta-feira, 13 de abril de 2006 às 19:00:00 WEST, Blogger sa.ra said…

    queridos e talentosos amigos,

    um Páscoa muito feliz - a Vitória da Vida, da Luz e do Amor!

    beijinhos!

     
  • At sexta-feira, 14 de abril de 2006 às 04:25:00 WEST, Blogger Berenice said…

    Caro José António,
    Acabei de chegar e já estou fascinada perante a beleza e profundidade que se espraiam nesta narrativa,ou melhor, nesta «paisagem» de Ternura, Paz e Luz, e perante as muitas lições que emanam deste texto, uma dentro de outra e ainda outra... O Pai é uma grande lição sob todos os aspectos, não só pelo que ensina (a belíssima e moralizante lição central), mas pela ternura e pela poesia da linguagem que usa. Se todos os pais usassem a poesia nas suas palavras, não só as crianças aprenderiam a dominar mais facilmente a língua materna como também se tornariam certamente adultos mais sensíveis e mais pacíficos.
    Muitos parabéns pela sua maravilhosa escrita, donde apetece não sair, e também pela linda foto! Voltarei muitas vezes.
    Aproveito para desejar uma muito feliz Páscoa para ambos!
    Beijinhos.

     
  • At sexta-feira, 14 de abril de 2006 às 09:21:00 WEST, Blogger HatA/mãe said…

    Pascoa feliz nesta santa casa.
    Isabel e Jose António, que passem uma pascoa feliz na companhia de todos os que vos são queridos.
    bjx

     
  • At sexta-feira, 14 de abril de 2006 às 15:48:00 WEST, Blogger Rose said…

    Isabel e José Antonio,
    Vim de novo a este espaço encantador desejar Feliz Páscoa aos dois. Que Deus os ilumine e mantenha-os poetas de poemas tão lindos.

    abraços

     
  • At sexta-feira, 14 de abril de 2006 às 22:39:00 WEST, Blogger zecadanau said…

    Votos de uma SANTA E FELIZ PÁSCOA

    Um @bração do
    Zeca da Nau

     
  • At sexta-feira, 14 de abril de 2006 às 23:42:00 WEST, Blogger Jorge Moreira said…

    Lindo!
    Uma Páscoa Feliz Amigos,

     
  • At sábado, 15 de abril de 2006 às 18:20:00 WEST, Blogger aprendiz de viajante said…

    Venho desejar uma feliz Páscoa! Um bjo para ambos!

     
  • At sábado, 15 de abril de 2006 às 19:34:00 WEST, Blogger Alguém said…

    Carissimos...
    passei por cá para vos desejar a vós e toada a vossa familia uma Santa Páscoa!

    Fiquem Bem

     
  • At domingo, 16 de abril de 2006 às 20:42:00 WEST, Blogger Desambientado said…

    Votos de uma Boa Páscoa.

     
  • At domingo, 16 de abril de 2006 às 22:56:00 WEST, Blogger TMara said…

    Zé, li este texto onde? No círculo? Continua belíssimo e belíssima lição de amor.
    Bjs de luz e paz aos 2. Tenho andado ausente por razões vàrias k não indiferença ou alheamento.
    Luz e paz em vosso caminhar:)

     
  • At segunda-feira, 17 de abril de 2006 às 00:18:00 WEST, Blogger Papoila said…

    Este conto é um dos mais belos textos que li, e que me emocionou pela lição de vida que encerra e pelo amor ao mar, este mar que abraça a terra e lhe dá vida. José António, pela mão da WICCA ficou num comentário do meu pobre blog um poema demasiado bonito para ficar por lá perdido. Tomei a liberdade de o usar no meu último post em conjunto com um meu. Espero que lhe agrade. Abraço

     
  • At segunda-feira, 17 de abril de 2006 às 09:19:00 WEST, Blogger Isabel José António said…

    Caros Amigos:

    A todos os que nos visitaram e deixaram votos de boa Páscoa quero agradecer-vos do fundo do coração.

    Passámos, a Isabel e eu, uns dias em Cercedilla (Madrid) a trocar (dar e receber)pequenas pérolas de sabedoria em forma de palavras, sentimentos e fraternidade que nos enriqueceu imenso.

    Mais empolgados nos sentimos para escrever, transmitir tudo quanto nos vai na alma (que é um mundo inteiro) e que não conseguimos traduzir num simples blog.

    A todos vós, companheiros desta jornada de querer saber, de procurar entender, da partilha e das palavras, desejo, em nosso nome, que tenhais passado uma Páscoa de fraternidade e PAZ nos corações.

    Muitos beijos e abraços.

    José António

     
  • At segunda-feira, 17 de abril de 2006 às 11:46:00 WEST, Blogger sa.ra said…

    Bom dia!


    presumo que ainda estão fora... nesse encontro de partilhas!

    vim cumprimentar-vos...
    o comentário que deixaram no Soukha...

    "Todos somos a uva e o vinho
    O lagar e a prensa, o nectar
    Se temos em nós o carinho
    Que esperamos para mudar?

    Mudar de ponto de vista!
    Dentro de ti tudo está
    Ver o TUDO que já se avista
    Que tudo começa aqui e já!"

    Meus queiridos amigos,
    como entendo o que vocês dizem! como percebo o que estão a dizer...
    O que escrevi foi dedicado a Cristo, sim, mas era/é sobre mim... as minhas próprias transformações... por isso não vou ser redundante. Vocês já disseram tudo!

    beijinhos e
    dias felizes!
    até ao regresso!

     
  • At segunda-feira, 17 de abril de 2006 às 12:12:00 WEST, Blogger HatA/mãe said…

    Bom dia e começo de boa semana amigos.

    Bom regresso abraços à familia

     
  • At segunda-feira, 17 de abril de 2006 às 12:53:00 WEST, Blogger Isabel José António said…

    Cara amigas Sa.ra (Soukha e Noite Estralada)

    Já cá estamos sim! Cheios de entusiasmo pela vida, para que a vida nos entusiasme também.

    Muito obrigado pelas vossas passagens por este nosso "canto" e prometemos que iremos continuar.

    Beijinhos

    José António

     
  • At segunda-feira, 17 de abril de 2006 às 12:57:00 WEST, Blogger sa.ra said…

    Que ânimo! que disposição!
    que vontade! que alegria!


    Que boa, essa Força!
    Beijinhos!
    e bom trabalho!
    um dia muito feliz a ambos!

     
  • At segunda-feira, 17 de abril de 2006 às 17:43:00 WEST, Blogger Ni said…

    «- Devemos afastar-nos da superfície, onde todas essas tempestades ocorrem e dirigir-nos para o fundo do nosso mar, sem quaisquer tipos de culpa, à procura da paz.»
    ...


    De uma beleza que nos trespassa e cala qualquer 'ruído'que nos afaste da ponte com a nossa própria verdade.

    Ao ler o teu texto senti a existência de uma afinidade espantosa com o conto 'Le Silence de la mer', de Vercors. A superfície das águas, dos sentimentos, dos afectos, do 'mostrável' vs a profundidade da essência, onde o que somos se liberta das obrigações, das imposições e simplesmente... nos permitimos SER.

    O mar... ainda e sempre o mar... o embalo fluido e feminino ( a - mar)... a água... em conjunção com AR, TERRA e FOGO... no sal que 'arde' nos olhos...

    ...

    Creio que descobri aqui um recanto onde me vou sentir muito bem.
    Posso voltar?

    Deixo um ramo de rimas...

    IR

    Ni*

    IR, nos braços da leveza... do vento, estrada suave da pureza...
    IR, soltar do cais os barcos da dor e tristeza...
    IR... e o tempo e o espaço anular, transmutá-los em flores para plantar...

    Ah, IR... não é partir, não é separar, não é quebrar...
    É recomeçar!
    É sentir que se é mar, nuvem, ave, pedra, folha tenra, rio...
    É não ter mais frio!

    IR...
    Duas letras, duas asas...
    E um só sentir...

    Liberdade...
    Ausência de saudade...
    Casa reencontrada...
    Cura de asa quebrada!

    IR...
    E ver tudo pela primeira vez...
    O céu que ri, chora, fica sereno, silencioso...
    E tocar cada abraço dado... como instante alado, precioso.


    IR...
    E entender...
    Que para a eternidade apenas SOU.
    Sou tudo o que fui e o que sonhei ser...
    E que nem um só gesto de ternura ficará por acontecer....




    Abraço de vento...

    Ni*

     
  • At segunda-feira, 17 de abril de 2006 às 19:13:00 WEST, Blogger Isabel José António said…

    Ni

    Muito obrigado pela visita.

    O "IR" lembra-me um outro que eu também já escrevi e te vou postar, como comentário no teu sítio.

    Se voltares será sempre uma lufada de ar fresco.

    Voltaremos sempre as estes nossos recantos.

    Beijinhos de espuma do mar.

    José António

     
  • At segunda-feira, 17 de abril de 2006 às 20:51:00 WEST, Blogger Fátima Silva said…

    Vim aqui desafiar-te para participares com uma frase, expressão, poema, quadra ou mesmo imagem para o sêlo da Amazónia. Se puderes passa no meu blog para perceberes melhor o meu pedido. Preciso de toda a tua colaboração. Boa semana e um beijinho

     
  • At segunda-feira, 17 de abril de 2006 às 21:46:00 WEST, Blogger Pedro Melo said…

    Olá! Sem querer fazer distinções, pois adoro os trabalhos da Isabel, devo confessar que me tenho deliciado com os poemas que o José Antonio vai deixando por vários blogs por onde passo, inclusive no meu!

    Maravilha!

     
  • At segunda-feira, 17 de abril de 2006 às 22:53:00 WEST, Blogger Isabel José António said…

    Para os amigos Pedro Melo e Fátima Silva,

    Pedro:
    Que bom que gostas deste tipo de poesia. Este tipo de apreciação, vindo de quem vem, deixa-me muito "corado".

    Um abraço.

    Fátima Silva:

    Já lá deixei uma espécie de slogan e um poema para, eventualmente, serem passíveis de utilização.

    Beijinhos e abraços.

     
  • At terça-feira, 18 de abril de 2006 às 20:14:00 WEST, Blogger umacoisaemformade_assim said…

    Fiquei com os olhos marejados...

     
  • At segunda-feira, 8 de maio de 2006 às 01:15:00 WEST, Blogger MiaHari said…

    ... uma história para meninos, pequeninos e grandes, a história do sonho e da realidade em abraço e entrega espiritual...
    Bem haja a quem tão bem exprime o que muitos sentem e calam, porque as palavras estão em silêncio.
    Lindo!
    Um abraço!

     
  • At quarta-feira, 10 de maio de 2006 às 00:56:00 WEST, Blogger Isabel José António said…

    Para Um Outro Olhar e Miahari

    Muito obrigado pela vossa visita.

    Um abraço para ambos e voltem sempre.

    José António

     

Enviar um comentário

<< Home