Poesia Viva

segunda-feira, novembro 21, 2005

A minha Praceta...

A Praceta é uma simples praceta. Tem casas, carros, e (felizmente!) árvores, relva, cães e crianças a andar de bicicleta... Mas a praceta é mais do que a soma de tudo isso: é a imagem que fica e as sensações que evoca... Daí que a praceta se transforma na "Praceta" - como um herói de banda desenhada que se transforma ao assumir uma outra imagem, ao vestir uma roupagem mágica.

Diz-se que a beleza está nos olhos de quem vê... E a Magia também...


A Praceta veste-se de cores sumptuosas logo de manhãzinha, quando o ceú de rasga de luz e as nuvens vêm espreitar...

Às vezes, esconde-se em mantos de nevoeiro como os que já mostrei noutro "post". Mas, sobretudo, ela tem uma paisagem nocturna de presépio, com colinas avistando-se ao fundo cujas casinhas minúsculas se acendem a partir do fim da tarde para fazer sonhar quem estiver à janela...

Isso far-me-á sempre lembrar uma recordação da minha filha mais velha... Não teria mais que um ano e meio, dois talvez... Eu entrei no quarto ao fim da tarde de inverno... Estava escuro e ela estava junto da janela, sem fazer nada e com as mãos atrás das costas, mas sobressaltou-se com a minha entrada. Então, muito depressa, disse sem que nada lhe fosse perguntado:

"Não mexi na paisagem!"